A Ciência atua do muito pequeno ao muito grande.

A Ciência atua do muito pequeno ao muito grande.

Seja Bem-Vindo

Este blog é de conteúdo totalmente científico e educativo. É constituído por artigos científicos ou relacionados à variados campos do saber (como política, filosofia ou sociologia, entre outros) que têm como objetivo a divulgação do conhecimento.


"O poder da humanidade que criou este imenso campo do saber há de ter forças para levá-lo ao bom caminho". (Bertrand Russel, filósofo e matemático inglês do século XX)



quarta-feira, 6 de janeiro de 2010

Homenagem à Galileu Galilei


Um dos maiores cientistas de todos os tempos, influenciando gerações de grandes homens. Suas ideias eram as mais avançadas de seu tempo e mais revolucionárias, salientando-se que Galileu Galilei foi quem, por fim, provou, com base nas teorias do grande astrônomo polonês Nicolau Copérnico (1473-1543), qua a Terra não era o centro do universo, mas sim o Sol. Sempre questionou veemente as teorias absurdas de Aristóteles (384 a. C. - 322 a. C.) que tanto corromperam o verdadeiro desenvolvimento científico.

Galileu Galilei nasceu na Itália, cidade de Pisa, a 15 de fevereiro de 1564, filho de Vincenzo Galilei e Julia Ammanati di Pescia. O pai, membro empobrecido da pequena nobreza, era músico e mercador, homem de cultura respeitada e um espírito contestador das ideias vigentes. Todavia, Vincenzo desejava uma sólida posição social para seu filho, e por isso introduziu-o à carreira médica. Assim, após completar seus primeiros estudos em Pisa e na escola do jesuítas do mosteiro de Vallombrosa, perto de Florença, com apenas dezessete anos, Galileu ingressava na Universidade de Pisa como estudante de Medicina. Entretanto, já no segundo ano do curso - que jamais concluiu, por falta de interesse pela matéria - ele descobriu o maravilhoso universo da Física e da Matemática, realizando sua primeira observação importante: a oscilação de um pêndulo apresenta uma frequência constante, independentemente da amplitude (quando esta é muito pequena). Na mesma época, inventou o pulsillogium, espécie de relógio utilizada para medir a pulsação. O encontro de sua verdadeira vocação científica levou-o a abandonar a universidade, apesar do descontentamento do pai. Voltando a Florença, em 1585, dedicou-se por conta própria aos novos estudos, mantendo um contato permanente com os intelectuais da cidade que frequentava a casa paterna, o que enriqueceu bastante sua formação filosófica e literária. Nesta cidade, Galileu viveu dezoito anos, e aí realizou a parte mais importante de sua obra: a formulação das leis do movimento dos corpos em queda livre e dos projéteis, e a defesa do sistema heliocêntrico (do grego helios = Sol e centrico = centro) do Universo. Em ambos os casos, ele investiu contra as doutrinas oficiais da época - que baseavam-se nas concepções do filósofo grego Aristóteles -, atraindo, com isso, a ira dos doutores da Igreja.


Na concepção de Aristóteles, quanto maior a massa de um corpo, maior será a velocidade com a qual ele irá cair se for lançado em queda livre. Galileu não acreditava nesta concepção e para provar que ela estava incorreta fez uma experiência em praça pública que ficou muito conhecida: subiu ao alto da torre de Pisa com duas esferas metálicas com uma grande diferença em suas massas. Com a ajuda de um assistente, deixou que as duas esferas caíssem em queda livre da torre, observando, assim, que as duas caiam ao mesmo tempo no chão, portanto, com mesma velocidade.


Aristóteles havia dito que a Terra esta no centro de todo o Universo e que todos os corpos celestes giram em torno dela. Além disso, Aristóteles afirmava que todos os corpos celestes eram perfeitos em sua superfície. Por meio de um telescópio, que, por sinal, foi inventado por ele mesmo, observou que aviam satélites, como a Lua, que giravam em torno de Júpiter, o que contrariava, portanto, a concepção de Aristóteles de que todos os corpos celestes giram em torno da Terra. Ainda com o telescópio, observou crateras na Lua, o que contrariava a ideia de Aristóteles sobre todos os corpos serem perfeitos em sua superfície. Isso dava mais crédito ainda para a teoria heliocêntrica de Copérnico e menos a teoria geocêntrica (do grego geo = Terra e centrico = centro) de Aristóteles.

Com isso, Galileu, em sua obra principal, O Mensageiro das Estrelas, tentou mostrar que muitas das teorias de Aristóteles eram falhas e incorretas, inclusive a concepção de que a Terra era o centro do Universo. Porém, essas ideias estavam contidas em doutrinas da Igreja Católica e, naquela época, não poderiam ser questionadas, posto que o poder da Igreja era compáravel ao do rei. Por esta razão, Galileu teve que, sob o Tribunal da Inquisição, desmentir suas ideias recebendo, assim, a condenação de prisão domiciliar.

No fim da vida, Galileu já estava cego, em decorrência as observações que fez do Sol para as descobertas das manchas solares. Rodeado de amigos e discípulos, Galileu falecera em 8 de janeiro de 1642. Seus companheiros queseram erguer uma estátua em sua homenagem, mas o papa Urbano VIII vetou a proposição, alegando que ele seria um mau exemplo para os fiéis, visto que o morto "dera origem ao maior escândalo de toda a cristandade". Futuramente suas ideias heliocêntricas foram provadas pelo grande astrônomo alemão Johannes Kepler (1571-1630) e suas ideias para a mecânica foram provadas pelo grande cientista inglês Isaac Newton (1642-1727).

Suas obras foram incluídas do Índex dos livros proibidos pela Igreja, juntamente com as de Kepler e Copérnico. Mas, com certeza, o legado de Galileu sempre atravessou gerações, sendo até hoje admirado com um dos maiores cientistas de todos os tempos.


Nenhum comentário:

Postar um comentário