A Ciência atua do muito pequeno ao muito grande.

A Ciência atua do muito pequeno ao muito grande.

Seja Bem-Vindo

Este blog é de conteúdo totalmente científico e educativo. É constituído por artigos científicos ou relacionados à variados campos do saber (como política, filosofia ou sociologia, entre outros) que têm como objetivo a divulgação do conhecimento.


"O poder da humanidade que criou este imenso campo do saber há de ter forças para levá-lo ao bom caminho". (Bertrand Russel, filósofo e matemático inglês do século XX)



domingo, 31 de janeiro de 2010

A Antimatéria







A matéria ordinária, como encontra-se no sistema solar, por exemplo, é toda constituída de átomos cujos núcleos são compostos de prótons e nêutrons, circundadas por elétrons. Todavia, raciocinando por meio do chamado princípio da simetria, que, de um modo geral, é sempre observado nos fenômenos naturais, os cientistas sopõem que devem existir regiões no Universo, provavelmente em nossa galáxia, nas quais a matéria presente seja constituída das chamadas "antipartículas". Tal nome é dado a partículas elementares com propriedade simétricas às partículas elementares que nós conhecemos. Por exemplo, a antipartícula do elétron é denominada "pósitron", e é idêntica ao elétron, exceto por possuir carga elétrica positiva. A existência de tais partículas já foi constatada experimentalmente pelos físicos em certos tipos de desintegração.



O "antipróton", partícula semelhante ao próton, entretanto, com carga elétrica negativa, também já foi comprovada a existência experimentalmente. Teoria sofisticadas mostram que todas as partículas elementares têm suas respectivas antipartículas (com exceção do bóson de fóton e do méson pi neutro) sendo, todavia, díficil a constatação devido ao fenômeno da "aniquilação". Quando uma partícula elementar choca-se com sua respectiva antipartícula (o próton com o antipróton, por exemplo) elas se "aniquilam", ou seja, ambas desaparecem, dando origem a uma quantidade de energia, que pode ser medida pelo produto de suas massas multiplicado pelo quadrado da velocidade da luz, que nada mais é do que a equação de Einstein: E = mc², onde m é a massa desaparecida, c é a velocidade da luz e E é a energia equivalente a massa m.



A matéria constituída por antipartículas é denominada "antimatéria". Seus átomos teriam núcleos negativos, formados por antiprótons e antinêutrons, com pósitrons girando em torno dele. Especulações em torno desse assunto, levam à suposição da existência de certas galáxias constituídas somente por antimatéria. No encontro de tal galáxia com outra constituída por matéria ordinária, haveria o aniquilamento total da matéria, com um desprendimento monumental de energia, milhares de vezes superior a bomba de hidrogênio.



Supõe-se que no momento da singularidade e da origem do Big Bang tenha ocorrido espontaneamente a criação de antimatéria, dando origem ao Universo.

Um comentário:

  1. achei sensacional o artigo!
    sou estudante e esses assuntos sempre me fascinaram,uma pena que eu vá fazer matemática e não quimica.Mas pretendo fazer depois física.

    ResponderExcluir