A Ciência atua do muito pequeno ao muito grande.

A Ciência atua do muito pequeno ao muito grande.

Seja Bem-Vindo

Este blog é de conteúdo totalmente científico e educativo. É constituído por artigos científicos ou relacionados à variados campos do saber (como política, filosofia ou sociologia, entre outros) que têm como objetivo a divulgação do conhecimento.


"O poder da humanidade que criou este imenso campo do saber há de ter forças para levá-lo ao bom caminho". (Bertrand Russel, filósofo e matemático inglês do século XX)



quarta-feira, 6 de janeiro de 2010

A Descoberta do Próton







Em 1911, o renomado físico neo-zelandês Ernest Rutherford (1871-1937) e alguns grandes colaboradores fizeram uma experiência que levaram ao abandono do modelo de J. J. Thomson (1856-1940) (pudim de passas, onde as "passas" seriam partículas negativas). Rutherford investigava os ângulos sob os quais partículas alfa eram espalhadas ao passar através de uma fina folha de ouro (Au-196). Um dos colaboradores de Rutherford, seu aluno, o físico alemão Hans Geiger (1882-1945), sugeriu que o então estudante Ernest Marsden (1889-1970) verificasse se as partículas alfa sofriam grandes desvios angulares. O próprio Rutherford havia comentado: "Digo com certeza que não acreditava que houvesse aqueles desvios, pois sabíamos que a partícula alfa era de grande massa, com muita energia... Lembro-me que dois ou três dias depois Geiger me procurou entusiasmado dizendo: 'Conseguimos detectar algumas partículas alfa sendo refletidas para trás...'. Foi o mais incrível episódio que até então me ocorrera".
Com essa experiência, Rutherford determinou a carga, a massa e o tamanho de um átomo de ouro. Posteriormente, verificou-se que o núcleo de um átomo é constituído por pequeníssimas partículas carregadas positivamente, que foram denominadas prótons. No saldo final um átomo não apresenta carga, o que nos faz concluir que a quantidade de prótons é igual à quantidade de elétrons em qualquer átomo. Contudo, a maioria dos átomos possui massas muito maiores quando comparadas ás massas de seus prótons e elétrons. Por esse motivo, em 1932, o ilustre físico inglês James Chadwick (1891-1974) desenvolveu uma experiência com o intuito de desvendar esse mistério, detectando a presença do nêutron, partícula possuidora de massa muito próxima à do próton, porém sem carga elétrica, originária da interação entre o próton e o elétron.
Atualmente sabemos que a massa do próton é aproximadamente igual à 1,67 . 10-²7 kg e sua carga é igual a do elétron (porém, positiva).

Um comentário:

  1. Seria possível detalhar mais um pouquinho como Rutherford determinou a carga do próton e sua massa? Quais experimentos ele fez? Tenho essa dúvida. Se puder ajudar, agradeço.

    ResponderExcluir