A Ciência atua do muito pequeno ao muito grande.

A Ciência atua do muito pequeno ao muito grande.

Seja Bem-Vindo

Este blog é de conteúdo totalmente científico e educativo. É constituído por artigos científicos ou relacionados à variados campos do saber (como política, filosofia ou sociologia, entre outros) que têm como objetivo a divulgação do conhecimento.


"O poder da humanidade que criou este imenso campo do saber há de ter forças para levá-lo ao bom caminho". (Bertrand Russel, filósofo e matemático inglês do século XX)



quinta-feira, 1 de abril de 2010

Homenagem ao Pai da Tabela Periódica: Dmitri Ivanovich Mendeleev







É muito interessante pensar na vastidão de matéria que existe no Universo em que habitamos. E é uma matéria variada, pois se apresenta de várias formas distintas e composições peculiares. Todavia, é ainda mais interessante que pouco mais de 90 elementos químicos são suficientes para constituir toda essa vasta quantidade de matéria. Toda a matéria (excetuando a matéria escura) é constituída por tais elementos químicos.


Nós sabemos que todos os elementos químicos (atualmente 118 já descobertos) são dispostos em uma tabela que permite identificá-los, denominada Tabela Periódica. Porém, afinal, quando surgiu a Tabela Periódica? A Tabela Periódica foi inventada no final do século XIX por um químico e físico russo brilhante e habilidoso chamado Dmitri Ivanovich Mendeleev (retratado na fotografia acima).


Dmitri Ivanovich Mendeleev nasceu em 8 de Fevereiro de 1834, na cidedezinha de Tobolsk, na então fria Sibéria. Era o filho mais novo de 17 irmãos. Seu pai, Ivan Pavlovich Mendeleev era diretor da escola de seu povoado, e, infelizmente, perdeu a visão no mesmo ano do nascimento de Dmitri. Por conseqüência, perdeu seu trabalho. Para a infelicidade da família, seu pai recebia uma pensão muito ínfima, e por tal motivo, sua mãe, Maria Dmitrievna Mendeleev, passou a dirigir uma fábrica de cristais fundada por seu avô, Pavel Maximovich Sokolov. Na escola em que estudava, Dmitri destacou-se, desde cedo, em Ciências (porém, nem tanto em escrita, ou escrevendo mais formalmente, ortografia). Um cunhado, exilado por motivos meramentes políticos e um químico da fábrica de cristais deram força para sua paixão por Ciência. Posteriormente, logo depois da morte de seu pai, um incêndio devastou a fábrica de cristais. Sua mãe, então, não decidiu reconstruir a fábrica, pois preferiu investir suas economias na educação do filho. Nessa mesma época todos os seus irmãos, exceto uma irmã, já viviam independentemente. Sua mãe, então, mudou-se com ambos para a cidade de Moscou, com o fim de que Dmitri ingressasse na Universidade de Moscou, o que, infelizmente, não ocorre. Talvez devido as condições políticas vividas pala Rússia naquele período, a universidade só admitia moscovitas. Então, viajaram para a cidade de São Petersburgo, que, naquela época, era uma das mais desenvolvidas economicamente da Rússia. Entretanto , em São Petersburgo a situação praticamente era a mesma: não admitia-se estudantes de outras regiões. Felizmente sua mãe descobriu que o diretor do Instituto Pedagógico Central (naquela época principal escola formadora de professores da Rússia) era amigo de seu já falecido marido, o que acarretou em uma admissão de Dmitri. O Instituto Pedagógico Central ficava nos mesmos prédios da Universidade de São Petersburgo e tinha em sua contribuição muitos professores da própria universidade.


Dmitri interessou-se pela Química graças ao prestigiado professor Alexander Voskresenki, que, por sinal, passou seus últimos anos de vida em uma enfermaria devido a um falso diagnóstico de tuberculose. Ainda assim, Dmitri graduou-se em 1855 como primeiro de sua classe. No ano de 1859, conseguiu uma verba do governo para estudar no exterior durante dois anos. Inicialmente foi à Paris, onde estudou sob orientação do químico e físico francês Henri Victor Regnault (1810-1878), um dos melhores experimentalistas de toda a Europa naquela época. No ano posterior, Mendeleev viajou à Alemanha, onde estudou com o físico alemão Gustav Robert Kirchhoff (1824-1887) e com o químico, também alemão, Robert Wilhelm Eberhard von Bunsen (1811-1899), que, por sinal, foram os inventores do espectroscópio e do, até hoje utilizada, bico de Bunsen.


Mendeleev tinha um temperamento muito díficil e explosivo, e foi isso que acabou com parte de sua carreira. Com pouquíssimo tempo de convivência com Kirchhoff desistiu de suas aulas. Todavia, ainda continuou na Alemanha, onde residia em um pequeno apartamento que, de costume e peculiaridade, transformou em um laboratório. Neste laboratório improvisado, trabalhando só, limitou-se a estudar a dissolução do álcool em água e fez importantes descobertas sobre estruturas atômicas, valência e propriedades dos gases. No ano de 1860, pouco antes de retornar à Rússia, participou do 1º Congresso Internacional de Química da Alemanha, na cidade de Kerlusche, onde foi por influência do célebre químico italiano Stanislao Cannizzaro (1826-1910), que afirmou que o padrão de abordagem dos elementos químicos seria o chamado peso atômico.
Mendeleev estudou as propriedades físicas e químicas de 63 elementos químicos conhecidos na época e ordenou em uma tabela por ordem crescente de massa atômica, inaugurando, assim, a Tabela Periódica. Sua tabela serviu de base para a organização dos 118 elementos químicos conhecidos atualmente. A classificação de Mendeleev deixava espaços vazios, prevendo a descobertas de novos elementos. Conta-se que Mendeleev fez tal organização em sua casa de campo, na Sibéria, após uma madrugada inteira acordado. Além de tais surpreendentes descobertas, Mendeleev elaborou a fórmula da vótka perfeita, afirmado que devem ser duas doses de água para uma de álcool. Isso, atualmente, é uma lei da Rússia.

Mendeleev faleceu em 2 de Fevereiro de 1907, já praticamente cego, porém, seu legado está vivo até os dias de hoje.



3 comentários:

  1. ameiiiiiiiiiiiii, eh incrivel o site. Eu amo quimica e depois dessa postagem, adoro mais ainda.
    By Taisa Nunes

    ResponderExcluir
  2. caraaaaaaa tirei um 10 em quimica eu nao gostava da materia agora eu adoro quimica!!!!

    ResponderExcluir
  3. adoro quimica e quero cada dia saber mais!!!
    ass:Lorrayne 1*ano

    ResponderExcluir